sexta-feira, 16 de novembro de 2012























Sigo os teus olhos ao infinito do Ser
De meu Ser entrelaçado ao teu,
Do tempo que eternizamos
Desde sempre juntos
Em laços que te fazem meu
Naturalmente céu, lua, sol,
Mar e tudo o que importa,
Que me fazem tua,
Na cidade grande iluminada à noite,
Em um quarto escuro à sós,
Em toda parte,
Solidão que derrete-se
E vira palavra morta,
Enquanto o amor se apodera de nós
Paira em volta e nos une,
Dança e se torna ar, sobrevivência,
- Dois corpos, duas vidas,
Em uma alma só.
 
Milene.