domingo, 10 de junho de 2012

Nada que a dor não largue
Nada que a dor não fale
Não frite, não grite,
Dentro de mim.
Entidade de tantos anos
Frente a frente
Com a parte de mim
Que não pude deixar de ser...
Tira pra mim a tua máscara
E das feridas me dá nova vida,
Libertação é o que peço
Ainda que os meus passos
Estejam pesados pela presença do ontem
Por tua sedução em palavras
Pelos meus fantasmas
Dilacerando por dentro minha alma,
O meu sentido de Eu,
Que confuso, desesperado, em agonia,
Procura o seu Ser.
 
Milene.
 
 
Aos meus amigos e leitores
 
 
Ando afastada do blog e da blogosfera por motivos pessoais, mas ainda assim, sempre que possível, virei postar alguns versos aos interessados em le-los. Estou em dívida também com vários amigos que sempre me deram muitas alegrias com os seus blogs e com a sua proximidade; amigos que visitarei aos poucos, a medida do possível.Um grande abraço a todos,
 
 Milene.