sábado, 17 de setembro de 2011















O vento toca os ramos de trigo
Suavemente se colore a manhã
Seus passos vindos de longe, em ecos
Traduzem sentido entrelaçado
A sol e sentimento.
O pensamento se esboça
Através da paisagem
Sonho diluído em aquarela,
Luminosas cores enchem de perfume
E rosas o ar
As mãos se encontram
Olhos lacrimejantes se cruzam
Transbordantes de vida
Sedentos de sons
Nos levam a um mundo
Que não existe mais.


Milene.


 Prélude à l' Après-Midi d'un Faune - Claude Debussy

* Esse poema é uma repostagem do primeiro poema postado nesse blog, quando na verdade não havia ainda público para le-lo; eu o escrevi em um momento em que ouvia essa bela peça musical de Debussy, postada dessa vez também aqui. 
* Ficarei sem postar por algum tempo, provavelmente até o final de outubro, pois o tempo anda bastante corrido e escasso para mim . Espero que meus amigos e leitores não me abandonem por esse motivo.                 

8 comentários:

  1. Um poema tão nebuloso quanto a música e o simbolismo de Debussy. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  2. Milene,ainda não conhecia o poema, mas mesmo que já tivesse lido vale pela beleza impressa em suas palavras.Depois Debussy é Debussy! Adoro música clássica.Também penso em repetir algumas postagem antigas, porque nem todos já leram.Tenha um fim de domingo iluminado e feliz.Bjs Eloah

    ResponderExcluir
  3. Es un todo que nos lleva a un nuevo mundo.

    ResponderExcluir
  4. teste, teste nao estou conseguindo postar nada, help me!!

    ResponderExcluir
  5. Opaaaaaa, parece que deu certo desse jeito!!

    Como vc está, amiga????
    Já faz um tempo que nao nos falamos, credo!! Quais as novidades por aí??
    Eu voltei das minhas andancas, estou por aqui, mas nao sei até quando, pois o maridex está com umas propostas para trabalhar em outro continente, é quase certo, mas nao dá pra contar muito, pois pode tb nao dar em nada...

    Seu primeiro poema do vento me lembrou as saudades, elas que sao assim, como as pessoas que passam por nossa vida em algum lugar, e de repente se vao como a brisa, deixando a sensacao e o sentimento, num mundo que já nao existe mais... Bem, como vc disse uma vez, a poesia nos dá essa abertura para imaginar (embora nem todas nos deixem essa possibilidade), mas já vou logo dizendo, que sempre penso em algo quando leio seus versos, eita talento esse seu, já pensou em colocá-lo num livro??

    Bem, miga, espero que vc esteja bem e que tenha conseguido controlar e administrar o tempo.

    Te deixo um beijo enorme!!!!!! Muack muack

    ResponderExcluir
  6. Incrível como a música tem tudo a ver com o belo poema...uma viagem...

    Lindo demais...um vazio...um infinito...uma busca qualquer...

    bjs
    Liz

    ResponderExcluir
  7. Voce sumiu...gosto tanto do que escreve...

    Beijos!
    Liz

    ResponderExcluir

Obrigada a todos pela visita e pelos comentários. Voltem sempre, =).