domingo, 31 de julho de 2011

 













Escrever como desabafo
como desatino
Dedo em riste na ferida aberta
No beco fundo de todos nós
E o grito está lá disponível
- no peito
E a voz tremula - mansa
louca por se revelar
Queimar em meus abismos
O medo do pulo
As inconstâncias de minhas
emoções explosivas
Olhos expressivos e doces
Oceano de sensações
filtro de mundo por meu
caleidoscópio de sons
cópia tua e minha
de nossa real irrealidade humana
Demasiado humana.

Milene.


14 comentários:

  1. Escrever, pra mim, pega o meu lado mais humano, esse que às vezes acho que perdi. Sao muitas as coisas que me emociono, mas poucas que eu choro.
    Deve ser fruto do passar do tempo, do que foi exigido pra viver. Até meus sorrisos soam falso quando quero (e preciso), demasiadamente, à mim mesma, nao digo aos outros, aos outros nao preciso "provar" nada . É um "oceano de sensacoes"!
    Bonito esse jeito poético de falar sobre escrever, Milene, você tem alma artística, garanto que rasga as partituras de tanto tocar bem rs. (rasgar no sentido de detonar)

    * Também prefiro pagar o preco de ser como sou, e ficar por perto apenas de pessoas que valham a pena. Queridices falsas tô cheia, amiga!
    Ontem mesmo passei aqui ver se tinha novidades, achei que estivesse estudando, por isso nao deixei mais recados. Que bom tá de volta!

    ResponderExcluir
  2. Escrever sempre faz bem...Lindo,Milene! um beijo,chica

    ResponderExcluir
  3. Escrever alivia a dor, nos trás alegria... quantos sentimentos sentimentos em seus versos Milene, gosto de passar por aqui.. beijos
    Boa Semana...

    ResponderExcluir
  4. Escrever feito quem se despe e apalpa a sua dor. Feito quem lança sons no ar na esperança que alguem acorra. Feito quem represa uma fonte e se inunda, mas jamais se completa. Um beijo, querida.

    ResponderExcluir
  5. Milene minha flor, hj estamos em total sintonia, tbm postei sobre escrever rsrs
    Adorei os seus versos, escrever me salva a alma, me salva da tristeza, ou me joga nela de vez, me salva da saudade e a impede de me corroer. É total salvação né amiga?!!!
    E eu adoro o jeitinho que escreves, viu!?

    bjokitas com master carinho meu!!!!
    :)

    ResponderExcluir
  6. Vim conhecer teu blog.Adorei.Lindo Poema "cópia tua e minha e da nossa real irrealidade humana
    Demasiado humana." Sensibilidade pura! Encanto de alma.Parabéns querida.Amei.Vim, gostei e voltarei sempre.
    Deixo aqui meu convite para conheceres meu cantinho poético.Ficarei feliz.Muita luz minha linda poeta.Forte abraço Eloah

    ResponderExcluir
  7. Belo e intenso. Humanamente sentido...

    beijo, Milene!

    ResponderExcluir
  8. Tem tanta coisa queimando em meus abismos, querida...

    Muito lindo!

    bjs!

    ResponderExcluir
  9. Milene,
    Se eu escrevesse (ai, meu Deus, como seria bom!!!) acho que teria esse seu jeitão e jeitinho...rsrsrs... Adoro ler as coisas que vc escreve, me identifico muito com seus poemas e acho-os facinho de absorver e sentí-los. São muito gostosos de ler e entender...
    Fiquei uns 5 dias fora do ar, mas agora tô voltando a mil... Saudades e bjkas com muito carinho!

    ResponderExcluir
  10. Que humanidade doída, que humanidade doida... Milene-poesia: a visita é breve, a visita é vida, a vida é breve. Viva Milese.

    ResponderExcluir
  11. Oi Milene!

    me fale qual a música que procura, talvez eu ache, ou ache em outro site que uso.

    Beijossssssss

    ResponderExcluir
  12. Oi Mi!!!!!

    Que fofurinha de poema e gostoso de ler, dessa vez, ademais de bem escrito, vc nao deixou duvidas na msg, né? haha
    Escrever é uma arte maravilhosa! Particularmente, eu a aprecio e idolatro tanto que escolhi viver dela e tomá-la nao somente como prazer, mas tb como profissao! Nao há encanto maior do que escrever, mas escrever e ler, embora acoes completamente antagonicas se identificam num lugar comum do pensamento e deleite...

    Amiga, estava de viagem em Nuremberg, aproveitando a família do maridex um pouquinho. Pra variar, estou colocando as atividades em dia, devagar e sempre, enrolada como nunca!!

    Quanto ao que vc escreveu lá no post sobre a vízinha, a coisa anda mais ou menos por aí mesmo, há o tratamento formal, o "Sie" que nao pode deixar de usado de forma alguma, a apresentacao de si mesmo é pelo sobrenome (depois de dois anos aqui, ainda nao consegui fazer isso, haha), e na hora de cumprimentar alguém vc nao sabe se beija, se nao beija, se pergunta se está td bem ou nao... é uma m.... O que me cansa nao é aprender uma nova cultura, o que me cansa sao essas regras bobonas que nao levam a lugar algum. Pra falar a verdade, já estou de saco cheio!!! (mas isso só aconteceu agora, depois de 3 meses, quando resolvemos nos enfiar em uma cidade pequena, e interior já viu como é, né?....)


    Bem, vou nessa e a gente vai conversando, viu!
    Beijaozao e boa metadinha de semana!! Muackkkk!!!

    ResponderExcluir
  13. Muito legal seu blog.
    Eu ja havia entrado aqui antes para ler, hoje entro para seguir. Segue meu blog tb por favor.
    Se quiser trocar banners, tem lá no meu blog, é só deixar um recado que eu coloco seu banner la no meu blog.
    parabens denovo...
    http://loucopolemico.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  14. Escrever como forma de romper o silêncio... Tenho horror ao silêncio, a não poder me expressar.

    "Escrever como desabafo
    como desatino
    Dedo em riste na ferida aberta
    No beco fundo de todos nós
    E o grito está lá disponível..."

    Escrever é fundamental!

    ResponderExcluir

Obrigada a todos pela visita e pelos comentários. Voltem sempre, =).