quarta-feira, 30 de março de 2011

Tenho a voz sufocada
Por tua ausência
Por tua sombra
Que me segue de longe,
Labirintos indecifráveis
De tua alma,
Repletos de pontos de interrogação...
O coração dolorido por tua falta
Mãos e pés atados,
- em meio aos escombros
É preciso continuar...
Grafar a palavra coragem
A cada dia nos passos,
Retomar minhas canções sem palavras,
Meus sons - sentido de vida,
Significado de mundo...
Usar o desencanto como adubo
De um recomeço sem ti.

Milene.

5 comentários:

  1. A ausência dói mas aduba a alma do poeta.

    Bonito, Milene. Muito sentimento aí...

    beijo.

    ResponderExcluir
  2. Belo poema gostei demais dos versos a vida é uma canção sem palavras imenso em sentimentos!

    ResponderExcluir
  3. Olá, Milene.

    Lindos versos, querida. Adorei!

    Beijos :)

    ResponderExcluir

Obrigada a todos pela visita e pelos comentários. Voltem sempre, =).