domingo, 20 de março de 2011

Chopin - Noturno em sol menor Op.37 n°1 - Claudio Arrau
















Ainda lembro
de teus olhos de mel
do cheiro da brisa
em nossas tardes dominicais
Chopin ao fundo,
melancólicos noturnos,
Tua simples existência
fazendo os dias mais luminosos,
as tardes profundas, insondáveis,
as noites pura ventura,
a alma transbordante de versos.
Foi e és minha mais bela lembrança
Dolorida por vezes,
saudosa por tua ausência - presença
necessária e tormentosa,
Mas inesquecível ao coração.

Milene.

10 comentários:

  1. O inesquecível é sempre necessário, ainda que doloroso seja. Muito bonito, Milene!

    beijo

    ResponderExcluir
  2. Há coisas e pessoas que não conseguimos esquecer Celso, mesmo que nos esforcemos pra isso. E essa ausência - presença é melancolia, é dor, mas também é beleza, poesia, sentido... Obrigada por estar sempre aqui... beijos.

    ResponderExcluir
  3. Ahh o amor!!
    Ausente inspira, presente nos faz felizes!!

    Grande beijo Milene

    ResponderExcluir
  4. Ah... O inesquecível das canções que ficaram dentro de nós... Coisas do amor que é canção eterna!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Chopin é arrepiante. Trilha sonora perfeita para essa bela poesia, para pensar em ausências, presenças e vazios incuráveis - pois todo vazio, mesmo preenchido, é incurável.

    ResponderExcluir
  6. Lindo, Milene. Só o inesquecível - dolorido ou não - é eterno.

    Obrigada pela visita e pelos comentários, e adorei seu blog. :)

    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Chopin , teus versos...belissima postagem !

    um beijo!

    ResponderExcluir
  8. Oi passando pra deixar um abraço!
    belas melodias aqui =.)

    ResponderExcluir
  9. "Chopin ao fundo, melancólicos noturnos..."
    Grande e tocante viagem!

    ResponderExcluir
  10. Amei esse.
    Chopin é perfeito.
    Beijos
    Tarsila
    http://desaliene.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Obrigada a todos pela visita e pelos comentários. Voltem sempre, =).