terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

A respiração perdida
Aguarda a violação
De seus recantos ocultos
Estocadas firmes, surdas,
sem dó...
Violenta é a pulsação dominante
Sua tônica- loucura, prazer
Olhos em chamas, delírio
Modulações fortes, ousadas,
Na dinâmica explosão de dois corpos
Eu e tu
Em um, como um
O tempo para, se eterniza
Espera a lenta cadência
Grito extraído de dentro
Em piano, em pianíssimo
Até o fatal
Ataque final.
Milene.

9 comentários:

  1. Obrigado pela visita e pelas palavras.
    Palavras são a nossa matéria prima.
    Gostei muito do que li.
    Tem sabor, sabores...

    ResponderExcluir
  2. "A respiração perdida
    Aguarda a violação
    De seus recantos ocultos..."

    Este início sublime já bastou para eu me render à beleza da tua arte poética, Milene.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Milena,

    Obrigada pela visita e pelo comentários. Esqueci de dizer que sou apenas um dos quatro membros do DS. As postagens que você comentou são do Tuca, fundador do blog, e do Teopha, um sacana que leva tudo na galhofa. Não posto desde o início do mês: "Amor em gotas (sabe-se lá de quê)", uns textos tão mínimos que chamá-los de microcontos já seria um exagero. Eu misturo tudo: humor, drama, erotismo... ás vezes, até lirismo!

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Muito bom, gostei, além de ótima pianista,uma poetisa.
    bjs

    ResponderExcluir
  5. Nuooossa, esse é mesmo muito bom!

    ResponderExcluir
  6. Ai miga,,,, juro que nao foi pq saquei o lance no ultimo post da sua relacao com a música que parece-me fácil deduzir aqui que uma vez mais ela está presente, o piano como instrumento que extrai o grito, ela é a ferramenta e o segundo corpo mencionado no poema (ou o primeiro, o que daria no mesmo), vc e ele em sintonia e conexao!! Entendo o erotismo aqui como a associacao de um prazer que o piano proporciona, tal qual o orgasmo em sentido literal. Nao sou boa pra questionar poemas (já te disse isso, né?), pois os que encontro, embora carregados de sentido, às vezes nao deixam sentido algum... Diferentes dos que li aqui, impetuosos e com um foco!!!

    Qual é o curso que vc está fazendo aí??
    Espero que de certo sua especializacao pelas bandas de cá, mas isso ainda levará algum tempo, nao? Bem, agora estamos em contato e teremos todo tempo pra falar sobre isso e muito mais, hehe
    Sobre aquele lance dos comentários do qual me queixei, nao aguentei e publiquei um textinho básico hoje, haha
    Bom comecinho de semana pra nós!!
    Beijokona!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  7. Amiga, não esquenta não, rs, é normal que vc não perceba pq chamei esse poema de erótico musical, com certeza essa relação só tem como ficar clara mesmo pra quem estuda música... Mas eu não resisto e vou te entregar de bandeja os termos musicais dele, tá? Ele tem muitos, como por exemplo a palavra DOMINANTE que a principicio por quem não conhece teoria musical, harmonia musical etc pode parecer simplesmente algo que domina,mas na verdade, DOMINANTE aqui tem duplo sentido, o acima é também o quinto grau de uma escala musical ou do campo harmônico de uma tonalidade musical ( ex: dó maior tem como dominante a tonalidade sol maior ) que em música é uma relação muito importante, pois a dominante de uma tonalidade é que dá tensão a ela... a palavra PULSAÇÃO que acompanha a palavra dominante também tem um sentido musical, pois na música temos a pulsação interna do rítimo.Outra palavra que também tem sentido musical é a MODULAÇÃO, modular em línguagem musical significa passar de uma tonalidade a outra ( ex: se a tonalidade principal da peça é dó maior, o compositor pode por exemplo modula-la para a sua relativa menor ou seja, lá menor ). A modulação pode deixar uma peça musical mais interessante, dar mais colorido a ela...O próximo termo musical que posso comentar é o DINÂMICA, que seria em música a variação de intensidade ao tocar, dadas por sinais em uma partitura musical...vc pode estar tocando forte ( por indicação na partitura por ex ) e estar indicado lá que vc vai passar aos poucos do forte para o piano ( para o suave, para um toque mais baixo ).Depois temos o termo CADÊNCIA que em música tem mais que um significado mas que aqui eu o usei com o significado mais comum, ou seja, uma cadência prepara uma peça musical ou um trecho musical para o seu fim, ou se não para o seu fim, ao menos para uma pausa, uma virgula... finalmente temos os termos PIANO E PIANÍSSIMO que aqui não estão falando propriamente do instrumento piano e sim de dinâmica novamente, mais especificamente falando de intensidade de toque musical... piano significa aqui tocar leve, algo em piano na música é tocado baixo e em pianíssimo é baíssiximo!Então no poema o grito que foi extraído de dentro foi em piano e pianíssimo quer dizer baixo e baixíssimo, suave... Amiga, me desculpa a explicação tá, mas eu não resisti! Quis compartilhar isso com vc também, acho que asim o que escrevi vai fazer mais sentido para vc. Na verdade eu usei todos esses termos em duplo sentido e só ía sacar mesmo isso quem já tem uma certa bagagem musical... os termos que coloquei em maiúsculas foram só pra destacar a coisa, já que não temos outros recursos de formatação aqui pra deixar comentários... eu gosto muito da sua presença aqui viu e é claro vamos trocar muitas e muitas figurinhas ainda! rs. Um beijão, mais tarde eu passo na Boutique de Ideias pra te deixar mais alguns recadinhos e comentários. Até.

    ResponderExcluir
  8. Ah amiga, eu esqueci uma das palavras fundamentais no poema: é a TÔNICA. Se em uma escala musical temos a DOMINANTE, temos também a tônica que é nada mais nada menos do que a nota que nos diz em que tonalidade está uma peça musical, ela é o tom principal de uma peça, que em nosso sistema tonal temperado musical ( sistema que imperou na história da música, por longos séculos, mais ou menos do período barroco até o final do romântismo, quando o atonalismo tomou conta da música por um tempo, mas ainda assim, hoje se faz muita música tonal, muito mais do que se faz música atonal ), é quem dá a "cara", o jeito da peça. A música no sistema tonal então, via de regra, sempre tem uma tonalidade principal em volta da qual todas as outras orbitam; as peças musicais tonais sempre começam com essa tonalidade e terminam com ela também, mesmo que modulem muito entre o seu começo e o seu final para outras tonalidades que tem afinidades com a tônica e às vezes para outras tonalidades que tem menos afinidades com essa tônica também. A tônica é também o repouso musical, ou seja, se a dominante nos dá a tensão, a tônica nos dá o repouso e é sempre em uma tônica que uma dominante se resolve, como ex, se temos uma peça de tonalidade dó maior e em certo momento vc está em sol maior e volta em seguida para dó maior, vc estava então na dominante da peça que se resolvou na sua tônica, a tensão se resolve no repouso no caso... eu vou parar por aqui amiga, pq eu não quero dar um nó na sua cabeça tá?rs. Se quiser me perguntar alguma coisa fica á vontade que eu respondo, tá? Beijão e uma ótima semana para vc também!

    ResponderExcluir
  9. Oi Mi!!!!!!!!!!!!!! Desculpa o atraso em aparecer por aqui, queria ter vindo antes, mas estou no projeto "terceiro livro", ademais das outras atividades do dia-a-dia. Uauu, vc fez uma baita explicacao aqui, e agora até dou uma colher de chá pro pessoal que comenta: "Que lindo" "Adorei" hahaha Eu sempre soube que é difícil entender a poesia, quem dirá comentá-la, aliás, sou testemunha viva, pois fiz o prefácio de um livro de poemas de um poeta brasileiro, assim como a resenha, dificílissima, cheia de duplos significados inteligentes e obscuros, foi o meu primeiro trabalho com poemas e o primeiro prefácio que fiz para um livro, resultou-me tao difícil que precisei tomar uma garrafa de vinho pra auxiliar o processo, haha Estava sozinha em casa, com a obra na mao, com alguém na expectativa das minhas palaras, sem saber o que escrever ... Bem, precisei fazer a resenha dos dos primeiros trabalhos dele (um professor da faculdade, imagine a responsa), pra receber o convite inesperado de prefaciar seu terceiro trabalho, e a partir daí vieram outros livros de poemas, mas é um genero de trabalho que nao me arrisco mais... embora confesse que me deu algo de experiencia. Taí, se vc quiser conhecer um pouco: http://www.geyme.com/search?q=wilbett nao precisa comentar nao, mas só queria te mostrar, que embora a simplicidade do que isso lhe parecerá, foi deveras um trabalho do caooooo! (confesso que o vinho ajudou a libertar a ideia), haha mas o prefácio nao está lá (modéstia à parte, ficou lindo e maravilhoso), ao final, gostei mais do prefácio do que da obra, hahaha Obrigada pela explicacao, cada dia aprendo mais!!! Se ve com isso, todo o processo que há por trás dos poemas, trabalho de genio!! (Mas lamentavelmente, nao é pra todo mundo...) Vou ler o novo post..... Beijaozaooooooooo!!!!

    ResponderExcluir

Obrigada a todos pela visita e pelos comentários. Voltem sempre, =).