sábado, 26 de fevereiro de 2011



















Correm como água meus dedos
Em teu corpo nu.
Estátua de mármore,
escultura de vida
a jorrar da fonte.
Em tua boca, 
urgências veementes, 
ao meu chamado,
pronta resposta.
Na provocação dos sentidos,
a suculenta fruta 
que viva penetra em meu cálice,
êxtase em meus espaços, gemidos
Encaixe perfeito de formas,
Eu e tu no tempo, fugas e eterno...
caleidoscópio mágico
olhos em que leio prazer,
pronta descoberta de mundos,
que tu sacias, em minha pele. 

Milene.

13 comentários:

  1. Mulene,

    Vejo que está tudo ordem , que conseguiu
    recuperar seu blog . Fico Feliz !

    Pra me seguir é só clicar no seguir ...
    Adorei a poesia.

    Bjo de Bom Domingo

    ResponderExcluir
  2. Uau!

    Fruta proibida , e poética...!

    um beijo!

    ResponderExcluir
  3. Olá adorei teu blog, lindo mesmo. Parabéns. Fique a vontade para fazer uma visitinha ao nosso e seja mais um membro. Você é nosso convidado especial. http://poetarenatodouglas.blogspot.com/.
    Um grande abraço!

    Renato Douglas!

    ResponderExcluir
  4. pura ebulição!

    agradeço sua visita, sinta-se acolhida por lá.

    beijo, milene.

    ResponderExcluir
  5. Tem (vários)selos pra você lá no meu blog:

    meninasegredos.blogspot.com

    Bjaum.*.*.

    ResponderExcluir
  6. O tempo é muito fugaz.


    http://vemcaluisa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Milene...seja muito bem vinda a esse nosso
    mundo..rsrs
    Em relação aos selos:
    1° você copia o endereço das imagens e coloca num post.
    2° alguns selos vem com regrinhas(perguntas, mínimo de pessoas pra enviar) que devem ser
    cumpridas.
    3° o endereço do blog que dedicou os selinhos
    tem que estar no post.

    Aproveiteeee...Bjaum.*.*.

    ResponderExcluir
  8. Muito bem, tou vendo que já pegou o jeitão e tem um monte de seguidores, rs. Um beijo, querida.

    ResponderExcluir
  9. Olá Milene,
    também gostei muito do seu cantinho.
    Teu poema está lindo.

    Beijo.
    Fernanda

    ResponderExcluir
  10. Sem palavras... Lindo demais, Milene! Abração!

    ResponderExcluir
  11. Em tua boca
    a minha...
    a boca...
    a intensa privação de sentidos.
    As linhas
    mal traçadas dos teus gemidos...
    do meu destino
    escorrendo a gotas largas no teu pescoço.
    Inquietas mãos postas
    pelas costas largas,
    pelo teu dorso
    rasgam véus.
    Os teus pelos,
    eriçados pelos meus apelos,
    denunciam suaves intenções...
    desejos secretos...
    me amarrar ao pé da cama,
    me ter objeto,
    animal de estimação, escravo...
    o Cativeiro, a privação...
    apenas mais um parvo
    sacrificado para o teu deleite.

    ResponderExcluir

Obrigada a todos pela visita e pelos comentários. Voltem sempre, =).