sábado, 26 de fevereiro de 2011



















Correm como água meus dedos
Em teu corpo nu.
Estátua de mármore,
escultura de vida
a jorrar da fonte.
Em tua boca, 
urgências veementes, 
ao meu chamado,
pronta resposta.
Na provocação dos sentidos,
a suculenta fruta 
que viva penetra em meu cálice,
êxtase em meus espaços, gemidos
Encaixe perfeito de formas,
Eu e tu no tempo, fugas e eterno...
caleidoscópio mágico
olhos em que leio prazer,
pronta descoberta de mundos,
que tu sacias, em minha pele. 

Milene.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Da maravilhosa inutilidade da arte

" Pode-se perdoar a um homem o fazer uma coisa útil, enquanto ele a não admira. A única desculpa que merece quem faz uma coisa inútil é admirá-la intensamente.Toda a arte é absolutamente inútil." 
Oscar Wilde.

Inútil sou por não ser utensílio
Por não ser vendável
Por não me encaixar no mercado.
Apenas sons, imagens, versos
Fruídos por almas,
Transformados em substância,
Luz que desponta aos olhos,
Deslumbra  ouvidos,
Penetra em corações.
Despretensiosa, brinco com versos,
Junto notas, encho o mundo de cores.
Aliada ao amor que a tudo permeia
Faço a vida valer a pena
Sou útil ao ser inútil como objeto
Comovente por minha eternidade
Doce por minha missão
Existo por meus escolhidos
E pelos que me escolheram
Posso vir como música
Representar vidas
Falar por metáforas
E por fim,
ser chamada de arte.

Milene. 



* Inspirado na palestra "Brincar, Jogar, Tocar e Atuar: Conexões Estéticas" ministrada pelo Prof. Dr. João Francisco Duarte Júnior (Unicamp) na Ufg dia 21/ 02/2011.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Tarot by Bzyglowi- A roda da fortuna
Escrevo a dor
De meu coração partido
Estilhaços de vidros
Vida virada do avesso
Confusão de sentimentos
Esgotar de pensamento.
Me reporto a loucura
Do esquecimento
Do amor calcado aos pés
A pretexto de obrigações,
Silêncios pesados
Mais significativos
Do que palavras,
Lágrimas secas
Por falta de opções.
A cabeça permanece erguida
Os olhos se voltam pra frente
Em meio aos espinhos
Se encontram as rosas...
A vida segue sem ti.

Milene.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

A respiração perdida
Aguarda a violação
De seus recantos ocultos
Estocadas firmes, surdas,
sem dó...
Violenta é a pulsação dominante
Sua tônica- loucura, prazer
Olhos em chamas, delírio
Modulações fortes, ousadas,
Na dinâmica explosão de dois corpos
Eu e tu
Em um, como um
O tempo para, se eterniza
Espera a lenta cadência
Grito extraído de dentro
Em piano, em pianíssimo
Até o fatal
Ataque final.
Milene.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Schubert- Improviso Op.90 n° 1- Zimerman

video

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Te chamo, marcos meus passos, acolho o mundo
única ando em palavras e sons
se vejo cinza tudo é cinza,
se vejo rosa, tudo é rosa
acredito e te ganho,
sem crer, tudo já perdi sem querer.
Nos olhos está o feio e o belo,
o doce e o amargo que queima
posso chorar com a criança que chora
ou rir dela e de mim.
Na vida que sinto
imagino, vejo e sou
escolho o que sou e vejo
a vida ou a morte,
os sonhos que quero real
o passado e o futuro
olho nos olhos e faço.

Milene.